Uma História sobre ANGIOPLASTIA CORONÁRIA

Quick Finder de produto

Escolher uma categoria ou subcategoria

Uma questão de coração

Como os stents e os cateteres de balão podem ter impacto na qualidade de vida

"Uma dor inimaginável", refere Günter Preiss. O residente em Berlim de 82 anos não só faz uma expressão que lhe vem à memória como involuntariamente leva a mão ao peito. E não é de admirar, porque essa é a sua "questão de coração" que o atormenta há perto de 30 anos. Preiss tinha 56 anos quando sofreu o seu primeiro ataque cardíaco.

Günther Preiss (82), doente cardíaco há mais de 30 anos, depois de um dos seus passatempos favoritos.

Histórias como esta mostram em que medida os ataques cardíacos afetam a vida dos doentes. No entanto, está vivo e continua a beneficiar do progresso médico. Os stents e os cateteres de balão constituem um tratamento menos invasivo.

O foco da angioplastia é alargar os vasos sanguíneos estreitados com stents e cateteres de balão, o que constitui um tratamento minimamente invasivo. O próprio stent não garante que manterá abertos os vasos sanguíneos e a circulação do sangue, podendo mesmo conduzir ao estreitamento dos vasos sanguíneos - reestenose. A B. Braun ajuda a reduzir o risco de estreitamento utilizando stents revestidos com fármacos. A última inovação da B. Braun nesta área é o stent revestido sem polímeros libertador de fármacos, designado Coroflex® ISAR. A B. Braun desenvolveu este produto em estreita cooperação com o Centro Alemão do Coração em Munique, na Alemanha.

"Este produto fornece uma libertação controlada do fármaco sirolimus de forma a evitar a reestenose. O revestimento, em conjunto com o fármaco, são completamente absorvíveis no espaço de três meses, o que reduz significativamente o risco de posteriores reações inflamatórias", explica o Dr. Jorge Calisse, responsável pelo desenvolvimento de stents da B. Braun Vascular Systems em Berlim. Ao longo dos anos, a B. Braun afirmou-se como uma das empresas europeias líderes no fabrico de produtos para intervenções de angioplastia. Por um período que vai até doze meses, o doente terá igualmente de tomar medicação que previna a agregação de plaquetas de forma a evitar a formação de perigosos coágulos no stent. Se tal for contraindicado, poderá fazer sentido, consoante a doença, não implantar sequer o stent.

Em alternativa, o médico pode colocar e insuflar o cateter com balão revestido de fármaco SeQuent® Please NEO ao longo da oclusão vascular, outra inovação da B. Braun, para a oclusão vascular. A superfície do balão liberta um fármaco inibidor do crescimento, permitindo alcançar uma vasodilatação sustentada sem implantação de um stent. O tratamento é efetuado com anestesia local e o doente pode sair do hospital pouco depois do procedimento. "Trata-se de um procedimento minimamente invasivo utilizado para dilatar mecanicamente os vasos sanguíneos estreitados ou bloqueados", explica o Dr. Fleck. O tratamento é efetuado com anestesia local e o doente pode sair do hospital pouco depois do procedimento.